As parcerias que o CIES Global e a Prefeitura de São Paulo realizam ao longo do tempo foram destaques no Fórum Intersetorial para Combate às Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNTs) no Brasil. O evento, realizado no dia 25 de outubro, nas dependências da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, contou com participantes dos setores público, privado e de organizações sem fins lucrativos. Entre os objetivos, estavam debater e compartilhar modelos de parcerias bem-sucedidas para o combate a doenças como Acidente Vascular Cerebral (AVC), doenças cardiovasculares, o diabetes, os diferentes tipos de câncer e as doenças respiratórias crônicas, que são responsáveis por mais de 72% das causas de morte no Brasil.

Durante a apresentação do CIES Global, o fundador da organização, Dr. Roberto Kikawa, explicou aos participantes o diferencial da parceria mais recente com a Prefeitura de São Paulo: o programa Doutor Saúde. “Cinco milhões de pessoas da cidade de São Paulo dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) e nós não somos concorrentes dele, nós entramos no circuito. As carretas estão localizadas em regiões estratégicas para atender, preferencialmente, a população das regiões periféricas. Assim, o paciente não precisa se deslocar muito para receber o atendimento especializado. E o rodízio das carretas contribui para a atenção continuada dessa população”. Roberto também explicou a importância das unidades móveis na prevenção e mapeamento dos riscos de DCNTs pelo Programa Médico Preventivo, realizado em todas as carretas.

Para complementar o assunto, a mesa de debate estava composta pela representante do Instituto Ver & Viver, mantido pela empresa de lentes Essilor, Sandra Abreu. “Posso dizer que a parceria com o CIES Global foi um feliz encontro porque o CIES se apresenta sustentável, permanente e que não onera, de forma que se perpetua. O CIES é um importante parceiro para manter o nosso compromisso de fornecer óculos aos mais de 30 milhões de brasileiros que precisam de correção visual e não possuem acesso, por causa do preço das consultas e dos óculos”.

O chefe de gabinete Dr. Daniel Simões de Carvalho Costa foi indicado pela Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo para compor a mesa. “Sem parceiros, seria difícil estabelecer cuidados efetivos de saúde na cidade de São Paulo. E o CIES é um exemplo de aliança que deu certo, superando as burocracias e enfrentando os desafios. O sucesso do Corujão da Saúde, que também contou com outras organizações, comprova toda essa sinergia”, ressaltou Daniel.

Entre as demais autoridades da área de Saúde que participaram do Fórum, estava a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção à Saúde do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, que apresentou um mapeamento realizado pelo órgão sobre os registros das DCNTs em todas as regiões do país. “Existe uma importante redução da mortalidade precoce causada essas doenças crônicas não transmissíveis, no Brasil, mas o quadro continua crítico em algumas regiões”, ressaltou.

O evento, promovido pelo Public Health Institute (PHI), a maior e mais antiga organização sem fins lucrativos dos Estados Unidos que apoia programas e projetos de saúde pública, também enviou representantes para o evento. O diretor Andrew Pines pontuou alguns desafios de se estabelecer parcerias intersetoriais em qualquer lugar do mundo, mas que é possível. A fundadora e diretora do Global Health Leaders, do PHI, Esther Tahrir mencionou alguns casos de sucesso dos programas desenvolvidos pelo instituto. “Resolver os problemas da Saúde não é só uma responsabilidade de um setor, seja empresarial ou público, mas devemos encontrar formas de fazer alianças entre todos: público, empresarial, sem fins lucrativos e quem mais puder somar”, destacou.

O CIES Global foi coorganizador do evento, por meio do departamento de Comunicação e Marcas.

+Veja outras notícias do CIES Global

Equipe CIES Global