Empreender para Humanizar é tema de palestra do Enepe

O Projeto CIES (Centro de Integração de Educação e Saúde) foi um dos temas do 20º Encontro Nacional de Ensino, Pesquisa e Extensão (Enepe) da Unoeste, que promoveu, entre diversas atividades, o 10º Fórum de Saúde e Humanização no SUS e o 10º Fórum de Saúde do Trabalhador e Educação na Saúde. O evento aconteceu no dia 20 de outubro de 2015, no Teatro César Cava, com presença de alunos, professores, convidados e funcionários de saúde e do sistema penitenciário de Presidente Prudente e região.

 

A palestra do Dr. Marco Cezário, médico otorrinolaringologista e diretor médico do CIES, teve como tema "Empreender para Humanizar", explanando os principais pontos sobre empreendedorismo social em saúde. O médico mostrou as características e diferenças entre os modelos de negócio comum e do terceiro setor, como o do CIES.

 

A apresentação levou aos participantes um case completo sobre o Projeto CIES, exemplo de sucesso de empreendedorismo social na saúde. Dr. Marco Cezário apresentou o projeto desde a sua concepção, quando seu idealizador, Dr. Roberto Kikawa, colocou no papel o projeto que atenderia a necessidade integral do ser humano com qualidade, tecnologia e agilidade no conceito tratar-educar-prevenir. A partir daí, estudos e projetos tiraram o projeto do papel, oferecendo para regiões de vulnerabilidade social programas de saúde de qualidade. "Temos vários modelos de atendimentos, como contêineres, caminhões e ônibus, disponibilizando equipamentos de alta tecnologia à população", disse Dr. Cezário.

 

O diretor do CIES apresentou os pontos essenciais de um projeto de empreendedorismo social na saúde, como sustentabilidade, terceiro setor, modelos de gestão, dimensão econômica, governança híbrida, parcerias com empresas líderes de mercado para garantia de tecnologia e recursos de ponta e muito mais. De acordo com ele, no empreendedorismo social é preciso lembrar que vivemos em um sistema capitalismo, mas com olhar participativo de toda a comunidade. "Fazer o bem não significa que tem que ser de graça e nem sempre ganhar dinheiro é fazer o mal ou entrar no capitalismo selvagem. O empreendedor social faz negócios sustentáveis, em que todos ganham sobre a negociação, com um modelo que pensa na comunidade e no meio ambiente", ensinou Dr. Cezário.