As consequências da hipertensão arterial, também conhecida como pressão alta, causam aproximadamente 300 mil mortes por ano, no Brasil. Esse número é maior que a soma das mortes por câncer e acidentes automobilísticos no país.

O aumento de infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVCs) previstos para os países em desenvolvimento mobilizou até a ONU. A organização mundial definiu como objetivo diminuir, até o ano de 2025, as mortes causadas por esses problemas. E a redução da hipertensão arterial é um importante fator para o alcance dessa meta.

No Brasil, o Ministério da Saúde estabeleceu o dia 26 de abril como o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. Veja abaixo como prevenir, diagnosticar e até mesmo conviver bem com a doença.

O que é Hipertensão Arterial

Hipertensão Arterial é uma doença crônica caracterizada pela pressão arterial elevada, de forma constante, e que pode causar algum malefício.

O médico cardiologista Nilton Carneiro, da equipe CIES Global, informou que os limites para considerar uma pressão arterial elevada foram atualizados recentemente. “Uma pessoa que apresenta, frequentemente, a pressão arterial acima de 12×8 pode ser considerada hipertensa. Então, abaixo disso é o ideal”, afirma.

 

Sintomas da Hipertensão Arterial

Quando há sintoma é porque o momento ideal do diagnóstico já passou.” (Nilton Carneiro – Cardiologista da equipe CIES Global)

A Hipertensão Arterial não possui sintomas. A melhor forma para identificar a doença é aferir a pressão frequentemente. Uma enxaqueca, por exemplo, ou a ansiedade, podem causar o aumento da pressão arterial, mas não são resultados dela.

A pressão alta também pode ser consequência de uma outra doença. Nesse caso, o médico orienta para o tratamento da enfermidade originária e, após a alta, a hipertensão também é curada.

 

Como diagnosticar a Hipertensão Arterial

Aferir a pressão periodicamente é a forma correta para diagnosticar o quanto antes a Hipertensão Arterial.

O paciente deve estar relaxado, sem ter realizado atividade física na última hora. A última refeição deve ter ocorrido há mais de 15 minutos, se tiver sido leve. Em caso de refeições maiores, como almoço, deve-se aguardar mais tempo para medir a pressão. O braço deve estar à altura do coração.

Por parte do médico, o profissional deve utilizar aparelho devidamente calibrado para não falsear nenhum resultado.

 

O que causa a Hipertensão Arterial

Em 90% dos casos, a Hipertensão Arterial ocorre em devido o estilo de vida somado à pré-disposição genética. Nos outros 10%, é consequência de alguma outra doença que acomete o indivíduo”. (Nilton Carneiro – Cardiologista da equipe CIES Global)

Para pessoas pré-dispostas a ter problema de Hipertensão Arterial, a alimentação com alta concentração de sal pode desencadear a doença. O médico ressalta que esse sal pode estar no tempero ou em alimentos processados, como enlatados.

Outro fator que contribui para a Hipertensão Arterial é a falta de atividades físicas praticadas regularmente.

O tabagismo é outro fator que está ligado diretamente à doença. E o estresse é o fator psicológico mais comum para causar o problema.

 

Consequências da Hipertensão Arterial

A Hipertensão Arterial é grande causa de mortalidade no Brasil e no mundo.” (Nilton Carneiro – Cardiologista da equipe CIES Global)

A primeira consequência para quem tem Hipertensão Arterial pode ser a mudança nos hábitos para manter a qualidade de vida. Restrições alimentares é uma delas. A necessidade de medicamentos pode ser outra consequência da doença.

Em casos graves, ou se não tratada, a Hipertensão Arterial pode causar Infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou Insuficiência Renal Crônica. Essas doenças são responsáveis por grande perda da qualidade de vida e alto número de mortes no mundo.

 

Como evitar a Hipertensão Arterial

Para evitar a Hipertensão Arterial, deve-se manter um estilo de vida saudável.

Alimentação balanceada e sem excesso de sal;

Manter peso sob controle e praticar exercícios físicos regularmente;

Não fumar, pois o tabagismo tem ligação direta com a doença.

 

 

 Como conviver com Hipertensão Arterial?

A Hipertensão Arterial controlada possibilita uma vida normal. Não há contraindicação para nenhuma atividade, desde que o tratamento seja continuado.” (Nilton Carneiro – Cardiologista da equipe CIES Global)

“Num primeiro momento é necessário modificar o estilo de vida. Melhorar a dieta, praticar alguma atividade física e diminuir o estresse. Se essas mudanças não forem o suficiente para controlar a Hipertensão Arterial, o médico recomendará medicamentos e fará acompanhamento. O mesmo pode ocorrer se a pressão alta for diagnosticada em estágio mais avançado.

No começo do tratamento, a gente pede para que o paciente faça medidas de pressão com mais frequência (ajuste da pressão para ver se os medicamentos estão funcionando etc.). Depois, uma vez a cada duas ou quatro semanas”, explica o cardiologista Nilton Carneiro.

 

Programa Médico Preventivo: uma solução do CIES Global para combater a Hipertensão Arterial e outras doenças crônicas não transmissíveis

O Programa Médico Preventivo (PMP) é um conjunto de procedimentos e exames para a prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Em três rápidas etapas, o PMP empodera o paciente com informações sobre possibilidades de desenvolver doenças crônicas, principalmente as cardiovasculares.

O programa é embasado pela análise do Risco de Michigan, que avalia as chances atuais para doenças, e também pelo risco de Framingham, que prediz os riscos para os próximos dez anos.

Diversas unidades de atendimento do CIES Global oferecem o PMP para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas estão as carretas do programa Doutor Saúde, na cidade de São Paulo. As arenas de Sorocaba, Rio Claro e Santa Bárbara d’Oeste, no interior do Estado, também oferecem o serviço. A clínica e a Carreta da Saúde que atendem em Marietta, no estado da Geórgia (EUA), também realizam esse atendimento.

Assista ao vídeo que apresenta as etapas do paciente no Programa Médico Preventivo:

 

Equipe CIES Global